Enquanto Acre adia retorno das aulas presenciais para 2021, creche reabre em Porto Velho.

Foto: Divulgação - Ro ao vivo.

Por Val Barreto.

 

De acordo com informações do G1, o Acre adiou o retorno das aulas presenciais, após número de infectados atingirem mais de 20 mil casos de Covid-19, decisão de merece aplausos, devido mostrar o comprometimento do governo do Acre e demais entidades envolvidas com a segurança das crianças, suas famílias, professores e funcionários da educação.

 

As aulas presenciais nas redes pública e privada no Acre estão suspensas desde o dia 17 de março. Desde então, os alunos têm acesso ao conteúdo escolar pela internet por videoaula, pelo rádio com audioaula, pela televisão e também pelo material impresso adquirido nas escolas, ou seja, tem o mesmo modelo de aulas que as escolas municipais e estaduais de Rondônia.

 

A decisão não foi tomada de forma isolada, pelo contrário, inicialmente, planejava-se retomar com as aulas presenciais em setembro e estender o calendário até fevereiro de 2021. Para isso, a gestão divulgou enquetes para ouvir os professores, alunos e pais e responsáveis sobre o possível retorno, chegando a decisão, que o correto é adiar o retorno para o ano que vem.

 

O secretário de Educação do Estado, Mauro Sérgio, explicou que as equipes acreditavam que em setembro a pandemia estaria perdendo força no Acre, mas percebeu-se os casos da doença continuam em crescimento, inviabilizando o retorno presencial para as salas de aula.

 

O Governo de Rondônia, por meio da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e a Secretaria de Estado da Saúde (SESAU), divulgou os dados referentes ao coronavírus (Covid-19) no Estado, até ontem, foram confirmados 40.016, totalizando 888 óbitos por COVID-19.

 

A possibilidade da mesma decisão ser realidade em Rondônia é muito difícil, uma vez que o Decreto Estadual Nº 25.049 de 2020 do Governo de Rondônia, permitiu a abertura de creches a funcionar desde 27 de julho com 20% da capacidade para pais que, por suas razões, necessitem de apoio para filhos entre 1 e 3 anos de idade.

 

Um exemplo está as creches do Colégio e Curso Sapiens de Porto Velho, conhecida como Sapiens Baby, que já estão recebendo as crianças em número reduzido. Embora seja compreensível a necessidades dos pais, essa flexibilização é preocupante para os professores que irão se colocar na linha de frente, decisão que não depende deles, devido a taxa de desemprego e demissões em massa em virtude da Pandemia do novo coronavírus, pelo visto eles não tem opção.

 

Fonte: G1 RONDÔNIA AO VIVO


Comente com o Facebook:

:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestões, críticas, será um prazer responder você.

NOSSAS REDES SOCIAIS