VOLTA ÀS ÁULAS: Despreparo da SEDUC/RO preocupa professores em Rondônia.


Por Val Barreto.

No dia 30 de junho, 2020 a Secretaria de Estado da Educação de Rondônia (SEDUC/RO) por meio do Memorando-Circular nº 15/2020/SEDUC-GAD enviou um informativo quanto ao retorno das aulas presenciais no Estado de Rondônia, destinado aos Coordenadores Regionais de Educação – CRE. O memorando deixou os professores municipais, estaduais e federais protagonizando um filme de terror ou no mínimo, como se estivessem planejando um envio em massa de profissionais da educação, para o abate.

Ideia de Jerico:

Mesmo com o número de óbitos por coronavírus subindo 158% em Rondônia ao longo do mês de junho, desde que a primeira morte de COVID-19 foi registrada no estado, há três meses, junho é o mês com mais óbitos: foram 362 vidas perdidas para a doença em 30 dias.

Mesmo com esse cenário digno de filme de terror, a SEDUC está decidida a voltar às aulas presenciais no mês de agosto, mas não tem qualquer preparo ou medidas sanitárias efetivas e o pior, sequer tem um plano de volta as aulas com vistas a seguranças dos professores, alunos, pais e demais funcionários da educação.

A política do despreparo:

Para o professor Vinicius Miguel, o despreparado de SEDUC já se inicia pela quantidade de máscaras que serão distribuídos para professores:

“[...] duas máscaras para um professor será insuficiente pelo tempo de uso (para docentes, a máscara deve ser trocada a cada hora). Um turno com 4 horas de aula, exigiriam ao menos 4 máscaras”. – Criticou em sua rede social:


Para o professor, é assustador o fato de a SEDUC acreditar que basta distribuir (duas!) máscaras por profissional de educação, que está tudo resolvido: “É uma política do despreparo” – Criticou o professor que também é advogado e já moveu ações e denúncias contra a falta de transparência do Governo do Estado e contra a censura literária que chocou professores em Rondônia e a mídia a nível nacional.

Outro ponto que merece destaque é que o memorando cita uma Recomendação Conjunta do Ministério Público (MPE) com o que seria a "Política educacional diante dos impactos da pandemia da Covid-19, com adoção de medidas necessárias ao retorno às aulas presenciais e reordenação das atividades pedagógicas no ano letivo”, ora, será que nessas recomendações não se pensou na quantidade corretas de máscaras para os professores? Não é possível que os órgãos fiscalizadores não vejam que a SEDUC, não tem ideia do que está fazendo.

Tá cada dia mais difícil defender a SEDUC, afinal embora citem um Plano Preliminar de Retorno às aulas presenciais, a segurança dos professores não parece ter espaço, atenção ou prioridade, logo, fica claro que a referida secretaria não possui um plano efetivo de prevenção da equipe técnica que atua nas escolas, o que preocupa os professores de Rondônia.

Que Plano de volta às aulas é esse, meu Deus?

Um plano que preste, no mínimo deveria considerar a atual situação do cenário da Pandemia, afinal, está cada dia pior, não há leitos, não há remédios, testes, nem atendimento suficiente, basta entrar nas redes sociais ou nos jornais eletrônicos que há vários relatos de falta de atendimento, diagnóstico e tratamento, mesmo assim, o governo quer, a todo custo, abrir um dos espaços com foco da doença, ocasionando contaminação em massa de profissionais da educação, que irá significar muitas perdas, sem falar dos pais e/responsáveis que em grande parcela, são do grupo de risco.

Um plano que preste, deve minimizar os riscos de contágio e a disseminação de doenças respiratórias, notadamente, a causada pelo agente COVID-19, mas a SEDUC está querendo voltar às aulas já em agosto, sem qualquer melhora nos casos e com o caos do Sistema Único de Saúde e das redes particulares.

Os professores estão falando demais? Quem dera estivessem, mas pela quantidade de máscaras que a SEDUC deseja distribuir, é nítido o despreparo e demonstra que este governo, sequer está preocupado com sua saúde dos professores.

As escolas que lutem:

A SEDUC informou que ficará sob a responsabilidade das Escolas Estaduais a aquisição dos demais itens necessários para o retorno das aulas a fim de reforçar os procedimentos de higiene essenciais recomendados pela Organização Mundial da Saúde e demais Órgãos de Saúde, tais como:

Sabonete líquido;
Álcool líquido e em gel 70%;
Dispensers para sabonete líquido e álcool em gel;
Suporte com papel toalha;
Lixeiras com tampa com acionamento por pedal;
Tapetes com solução higienizadora.

O problema é que sem o coronavírus já faltava papel higiênico nos banheiros das escolas, imagine se esses itens serão verdadeiramente disponibilizados aos alunos e professores nas escolas pelo tempo necessário, afinal, não adianta suprir apenas no primeiro mês apenas para “maquiar”.

Xô coronavírus é uma ilusão:

É preciso manter os produtos de higiene e medidas sanitárias nas escolas enquanto durar a pandemia, pois o vírus não vai embora porque o Governador Marcos Rocha ou o Bolsonaro querem, ele continuará circulando, matando ou deixando sequelas que irão sobrecarregar o sistema de saúde em Rondônia.

As 3 políticas norteadoras da SEDUC e do governo:

A situação da educação em Rondônia nunca foi prioridade e sempre foi precária em todo estado, quiçá no país, e acreditar que nesse cenário de Pandemia será diferente, é no mínimo ingênuo, se bem que a SEDUC tem trabalhado ultimamente com 3 políticas norteadoras, a política do “se colar colou” a “a política do despreparo” e a política do “fomos sabotados”. Seria realmente hilário, se não significasse tragédia, dor e perda para muitas famílias.

Confira o memorando na íntegra:


Comente com o Facebook:

:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestões, críticas, será um prazer responder você.

NOSSAS REDES SOCIAIS