VALE INTERNET: Seduc estuda pagamento de auxílio a professores!



Por Val Barreto.

O Secretário de Educação da SEDUC - Secretaria de Estado da Educação relatou na reunião do dia (06/07) com a Comissão de volta às aulas presenciais, para tratar do planejamento dos protocolos sanitários, que a SEDUC já está estudando a concessão do auxílio de despesas aos professores que estão trabalhando com aulas remotas.

Suammy Vivecananda informou que está estudando a proposta do deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT), que propõe à SEDUC a conversão do vale transporte para vale internet aos professores da rede estadual, com o intuito de auxiliar estes servidores que precisam trabalhar em home office e que têm dispendido grande gasto com internet, para execução dessas atividades.

A pandemia da covid-19 trouxe vários impactos ao Estado de Rondônia e que exigiram várias medidas, entre elas a suspensão das aulas presenciais e, também, do pagamento do vale transporte destes profissionais. Os professores passaram a fazer uso de plataformas digitais sugeridas pela própria SEDUC, medida essa que tem gerado gastos que antes não estavam incluídos em seus orçamentos.

É importante que esse pagamento seja concedido, enquanto durar a pandemia, pois é um valor que vai contribuir nas despesas atuais com internet de qualidade, e como o vale transporte atualmente está suspenso, a conversão para vale internet, não mudará os gastos anteriores suportados pela SEDUC, ou seja, há orçamento para tal.

Sobre o valor, conforme a proposta acredita-se que será o mesmo do auxílio transporte que está suspenso, pois os professores não estão se deslocando, todavia, ainda NÃO HÁ uma previsão de quando os valores serão pagos. No que se refere aos professores da rede municipal ainda não há nenhuma informação a respeito de nenhum tipo de auxílio de despesas, mas o SINPROF tem ressaltado a importância do mesmo, para os professores municipais.

Quanto a ajuda com o consumo de energia, que é uma das despesas “mais salgadas” para os professores, diante dos constantes reajustes da Energisa, Suammy Vivecananda informou que não há base legal que justifique esse pagamento, mas entende as dificuldades dos professores e está buscando atender as necessidades da categoria, da melhor forma possível.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. E retroativo para começar, pois além de ter aumentado os gastos com energia, água e a velocidade da internet. Sem falar nos equipamentos que foram adquiridos por alguns.

    ResponderExcluir
  2. Uma forma legítima de contribuir com a categoria é conceder o reajuste do piso salarial que é um direito adquirido e até o momento negligenciado pelo governo.

    ResponderExcluir
:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

Deixe seu comentário, sugestões, críticas, será um prazer responder você.

NOSSAS REDES SOCIAIS