Léo Moraes e o MDB: presente de grego para um hercúleo desafio de administrar Porto Velho!



Por *Val Barreto.

No primeiro texto, falávamos dos movimentos contraditórios e não lineares de Daniel Pereira (ex-PT/ex-PSB/agora SD) para tentar uma costura entre candidatos à prefeitura.

Falávamos que, inevitavelmente, alguém será enganado ou traído: é impossível agregar tantos pré-candidatos em uma única chapa e alguém irá sobrar!

O texto pode ser conferido AQUI.

Hoje falaremos sobre Léo Moraes (PODEMOS), outro dos pré-candidatos.

Embora tente adiar a decisão, Léo Moraes se comporta como pré-candidato. Não há crime em não querer expor isso, mas também não há razões para o pseudo-mistério.

Os movimentos da pré-candidatura entregam o plano "infalível", como agregar todo um grupo de blogueiros que miram com raiva em seus adversários em sua nominata.

Aliás, parte destes novos aliados de Léo já vem sendo processada por outros nomes da sociedade, como Expedito Neto (Deputado Federal pelo PSD) e Vinicius Miguel (Cidadania) por disseminarem inverdades e ofensas.

A hiper-agitação das mídias sociais de Léo são outro indicador. Ninguém gastaria o que vem gastando com mídias e publicidade se não tivesse prolongadas pretensões eleitorais.


Frise-se: os gastos com "divulgação da atividade parlamentar" não são ilegais. Também frise-se: são gastos com dinheiro público:

Léo e o MDB:

Léo Moraes tem no MDB seu maior aliado e seu pior adversário.

É que se o fundo eleitoral na casa dos milhões que o MDB pode emprestar para Léo pode ser um atrativo, o presente de grego é a revitalização do clã Raupp, uma vez que Marinha Raupp (MDB) é quem assume.

Se Léo for eleito, Marinha será guindada de suplente apeada do poder para, pela quinta vez, tornar-se Deputada Federal.

Embora negue...

Embora negue relações, os vínculos clânicos de Léo Moraes com o MDB são históricos.

Léo fez campanha para Deputado Estadual dividindo palanque com o então candidato a Governo, Confúcio Moura (MDB).


Foto: Confúcio Moura e Leo Moraes..

Ainda em 2014, Léo Moraes emplacou nomes ligados ao seu grupo no governo estadual do MDB.

Em 2016, quando foi candidato à Prefeitura da capital, Léo Moraes, em segundo turno, foi apoiado abertamente por Williames Pimentel (MDB).

Foto: Leo Moraes e Pimentel.

Mesmo em 2018, Léo Moraes coligou-se com o MDB, tanto é que Marinha se tornou indissoluvelmente vinculada ao seu mandato.

Assim, não há como apagar o passado e, sim, Léo e o MDB tem uma relação histórica.

Mas nem tudo se resume a um presente de grego: a mitologia grega tem muitos atos de heroísmo, como os de Hércules.

E, administrar Porto Velho será, seja quem for o próximo gestor, uma tarefa hercúlea.


*Val Barreto é servidora pública municipal (professora). É, por formação, pedagoga. Por amor, é jornalista. Mãe. Defensora da educação. Uma das idealizadoras do Movimento Salve o IPAM.

Comente com o Facebook:

:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestões, críticas, será um prazer responder você.

NOSSAS REDES SOCIAIS