' '' A sútil diferença entre educação e ensino - O verdadeiro papel do professor | PROFESSORES DE PVH - POR VAL BARRETO

25 de mar. de 2019

A sútil diferença entre educação e ensino - O verdadeiro papel do professor


Por Veldineia Barreto.

         Educação é o processo de transferência e aquisição de valores enquanto Ensino é o processo de transferência e aquisição de conhecimentos. Conhecimentos é o conjunto de saberes cientificamente comprovados. Dessa maneira é possível ver a sutil diferença entre esses dois conceitos estruturais que infelizmente alguns profissionais não sabem discernir, o que pode levar à uma séria complicação devido à sua errônea interpretação no exercício da sua profissão. Quem determina o que é educação e o que é ensino são as políticas.
A legislação afirma que cabe à família a transferência de valores. Logo, considerando o fato de que os valores não podem ser ensinados e sim obtidos durante a vida do individuo, não é tarefa do professor educar e sim ensinar.
Atualmente a família não possui mais aquela formação tradicional, cabe ao professor respeitar as diferentes estruturas familiares. Um exemplo disso é o exemplo de alguns professores que ao entrarem em sala de aula iniciam uma oração, o que na verdade é, ainda que aparentemente uma ação inocente e de boas intenções pode ocasionar em um conflito religioso, pois alguns alunos podem ser católicos.
Por isso o papel do professor não é educar, seja uma educação religiosa, hábitos culturais ou manias que o aluno possua, o papel do professor é a de transferência de conhecimentos, o foco do professor deve ser o ensino.
Se o professor NÃO possuir domínio do assunto, não vai conseguir ensinar, e mesmo que possua valores condescendentes não conseguirá nem educar. Como é possível passar um conhecimento que você não tem?
É claro que o professor vai passar, ainda que inconscientemente seus valores aos alunos, um exemplo: se o professor xingar durante as aulas, os alunos vão xingar também.
O objetivo da escola hoje em dia não é construir valores, e sim desconstruí-los, ou seja algumas ações que um individuo obteve no convívio da família ou fora dela, deve ser exterminado pelo professor, mas isso só quando realmente necessário, e não deve passar de uma educação relacionada a disciplina básica e limites indispensáveis ao convívio em sala de aula.
O professor tem que se posicionar com o conhecimento e não com valores, cada pessoa já possui seus próprios valores e sua própria cultura, e caso o professor se posicione através de seus valores, pode ocorrer de agredir os valores morais de alguém.   
A educação cabe à família e o professor deve adequar à lei. Em primeiro lugar vêm os conhecimentos. Todos os alunos vão precisar dos conhecimentos básicos, pois o mundo não leva em consideração a carência, estado psicológico, ou emocional e sim os conhecimentos absorvidos.
Um fato que deve ser levado em conta é que o Brasil não possui um sistema educacional, o Brasil possui sistemas e o Estado não transfere valores, ele apenas complementa.
Portanto o professor deve ensinar os conhecimentos necessários para que cada individuo possa exercer a sua “cidadania”, para que possa adquirir autonomia, lutar pelos seus direitos, progredir como pessoa e por que não como profissional?  Um aluno não pode ir de uma série à outra sem ter os conhecimentos básicos, o que infelizmente não é uma realidade no Brasil.

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestões, críticas, será um prazer responder você.