' '' PROJETO DE APOIO PEDAGÓGICO PARA SUPRIR DÉFICIT DE DIAS LETIVOS | PROFESSORES DE PVH - POR VAL BARRETO

10 de dez. de 2018

PROJETO DE APOIO PEDAGÓGICO PARA SUPRIR DÉFICIT DE DIAS LETIVOS



TÍTULO: PROJETO DE APOIO PEDAGÓGICO PARA SUPRIR DÉFICIT DE DIAS LETIVOS.
AUTORA: VALDINEIA BARRETO COELHO.

1 INTRODUÇÃO

        Nos espaços de aprendizagem é comum ocorrer imprevistos que atrasam e dificultam o andamento do ano letivo e a organização do trabalho pedagógico, contudo, o ensino-aprendizagem do educando é prioridade de todos os envolvidos no sistema de ensino e coletivamente devem ser buscadas estratégias que superem tais dificuldades, de modo que o educando não tenha prejuízo.

        O trabalho pedagógico em escolas que possuem déficit de dias letivos, precisa ser flexível, e apresentar alternativas de ensino capazes de oferecer ao educando oportunidades para que esses déficits sejam supridos, nesta instituição de ensino, a alternativa encontrada é a aceleração dos conteúdos, propondo o desenvolvimento de trabalhos e atividades escolares a serem executados no lar, permitindo assim, um melhor aproveitamento dos conhecimentos prévios adquiridos no decorrer do ano letivo  e aprimorando a autonomia do educando, conforme assegura Galeffi (2001, p. 23) é preciso “potencializar a educação humana do sujeito social autônomo e inventivo”.
           
        Com este projeto, acreditamos que podemos contribuir de forma bastante significativa para suprir o déficit de dias letivos apresentado nessa instituição de ensino, no qual todos os professores do 1º ao 5º ano realizarão a aceleração de conteúdos selecionados a partir do currículo escolar disponível no plano de curso anual, a fim de concluir o presente ano de estudo e estabilizar o próximo ano letivo, de modo que este inicie e termine no período apropriado.
          
        De acordo com Pacheco (1996) os currículos precisam atender a “valorização da individualidade do sujeito e da sua cognição, das atitudes e valores, ao respeito pelas diferenças individuais e à procura de um desenvolvimento global e contínuo.” Dessa forma é importante que o educando realize atividades de forma autônoma, sendo seu domicílio um espaço de aprimoramento de suas potencialidades, sendo o aluno seu próprio mediador do ensino-aprendizagem.


A nossa escola fica localizada na zona rural e vivenciou durante o ano letivo 2017 grandes dificuldades para o cumprimento do calendário escolar, pois a paralisação do transporte ocasionou um grande déficit de dias letivos, atrasando o término do ano corrente e prejudicando o início do próximo ano letivo.

Esse retardo do ano letivo se deu por atrasos consecutivos em anos anteriores, desde a fundação da escola, ocasionados pela paralisação do transporte escolar, pelas péssimas condições das estradas vicinais e das linhas rurais e ainda pelo período chuvoso, que torna dificulta a locomoção de veículos e a presença do aluno na escola.

 Deste modo, caso não haja o término e início do ano letivo no período apropriado, sempre haverá o retardo do calendário e a repetição de um ciclo de atraso de anos letivos que prejudicará a realização do trabalho pedagógico, a previsão de férias dos discentes, docentes e demais funcionários da escola e a precarização do sistema de ensino, sendo esse déficit um grande desafio a ser superado.

A alternativa para suprir esse déficit será realizada por meio da execução de um projeto de apoio pedagógico para a aceleração dos conteúdos curriculares em sala de aula e por meio de atividades para serem realizadas no domicílio do aluno. 

As atividades propostas serão elaboradas de acordo com o ano de ensino e currículo escolar disposto no plano de curso anual, de modo que esses conteúdos sejam trabalhados, dentro e fora do espaço escolar, sendo o lar um importante espaço de aprendizagem e uma alternativa para o desenvolvimento autônomo. No que se refere à autonomia, Silva (2004) afirma que a aprendizagem autônoma, está ligada a responsabilidade do aluno pela sua aprendizagem, o que não está subentendido a eliminação do professor na gestão de atividade de ensino.

Os professores desta instituição de ensino estão comprometidos e envolvidos em ações que buscam suprir o déficit de dias e ainda assim, promover a aprendizagem do educando, de modo que aprimore o aproveitamento desses conteúdos.

De acordo com Nossa e Schwez (1999 p. 59) o professor possui o dom de “provocar atitudes sobre os conteúdos de ensino e sobre o próprio aprendizado e deve dar condições ao aluno para que este ao sair da influência exercida, tenha atitudes tão favoráveis”.

        A aceleração dos conteúdos não prejudicará o aluno, visto que as atividades trabalhadas irão possibilitar o aproveitamento desses conteúdos e conforme estabelece Haidt (1994 p. 61) “quando o professor concebe o aluno como um ser ativo, que formula idéias, desenvolve conceitos e resolvem problemas de vida prática, sua relação pedagógica muda”.

        Dessa forma, a aceleração dos conteúdos, sendo trabalhados dentro e/ou fora do âmbito escolar, permitirá aos nossos alunos a aquisição de saber, pois a aprendizagem do aluno “não é mais uma relação unilateral, onde um professor transmite verbalmente conteúdos já prontos a um aluno passivo que o memorize” (HAIDT, 1994 p. 61). Portanto, esta escola valorizando a aprendizagem do aluno e a importância dos conteúdos curriculares para seu desenvolvimento, está empenhada em contribuir com a obtenção de conhecimento inerente a aprendizagem destes.



            Atender o déficit de dias letivos do calendário escolar para o andamento adequado do ano letivo desta instituição de ensino.


·         Desenvolver a aprendizagem autônoma.
·         Acelerar os conteúdos de forma a concluir o ano letivo na data prevista.



            A metodologia de trabalho deste projeto parte da seleção de conteúdos do 4º bimestre que são indispensáveis a aprendizagem do aluno para a construção do conhecimento, buscando suprir os conteúdos necessários de cada disciplina, respeitando o currículo escolar, disposto no plano de curso anual.
            Serão trabalhadas atividades diversificadas e individuais por meio de material impresso que estimule o estudo constante, a dedicação e a competência do aluno em realizar as atividades de forma autônoma. O presente projeto será desenvolvido a partir das seguintes etapas:

§  Etapa 1: Apresentação do projeto a SEMED (Secretaria Municipal de Educação);
§  Etapa 2: Reunião entre a equipe pedagógica, professores e toda comunidade escolar para traçarem os passos para execução do projeto na escola;
§  Etapa 3: Discussão entre os professores de cada ano para seleção dos conteúdos.
§  Etapa 4: Seleção das atividades que serão propostas aos alunos;
§  Etapa 5: Entrega das atividades impressas aos alunos;
§  Etapa 6: Anexo de portfólio de atividades impressas que foram utilizadas;
§  Etapa 7: Culminância do projeto (Festa e confraternização de encerramento).



Supervisora, orientadora, gestão escolar, alunos, professores e pais dos alunos.


Folha impressa A4, Cola de papel, lápis, borracha, apontador, impressora a laser, dentre outros recursos.










Leitura, interpretação e produção de texto.  Parágrafo e pontuação. Divisão silábica. Textos não verbais. Ortografia: T/ D, P/ B, F/B, LH, NH E CH. Histórias infantis.
Sinais de trânsito. Trabalho e lazer. Área urbana e rural.
Composição de decomposição de números. Sólidos geométricos. Formas geométricas. Multiplicação de divisão. Resolução de problemas. Localização espacial. Sistema de medidas (quilograma).
Meios de comunicação. Profissões do campo e da cidade. Meios de transporte e suas utilidades. Educação para o trânsito.
Órgãos dos sentidos. Alimentação saudável. Alimentos naturais e industrializados. Origem dos alimentos.


Ordem alfabética. Adjetivos. Pronomes. Verbos. Ortografia: r/rr, que/qui, ão, aos , ã, ões, ães.
Entre o campo e a cidade. O município. Meios de transporte. Meios de comunicação.
Ideias de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Cidadão do campo. Escolas do campo.  Comunidade escolar.
Planeta terra e ambiente. Seres vivos e elementos não vivos. Animais vertebrados e invertebrados. As plantas.



Literatura. Comparação entre textos, Palavras com M ou N antes de consoantes. Acentuação. Palavras com L depois de consoantes, sons do X. palavras com J ou G, adjetivo no grau superlativo.
O trabalho infantil, trabalho e os produtos em nosso dia a dia, o trabalho e as paisagens, o ritmo das transformações das paisagens, mapas, divisão política do Brasil.
Tabelas. Gráficos de barras. Localização. Coordenadas, o litro. Adição, multiplicação, subtração e divisão, ordem crescente e decrescente.
O município de Porto Velho. Fatos históricos. Símbolos históricos. Organização dos poderes.
Animais e o ambiente. O corpo e a locomoção dos animais, percebendo o ambiente, estudando os órgãos dos sentidos, alimentação nas diferentes fases da vida, cuidados com a alimentação.


Verbos. Advérbios. Plural das palavras. Tempos verbais.                                              
Coordenadas geográficas; Animais
Sistema monetário. Números decimais. Porcentagem. Geometria.
Imigrantes no Brasil. A vida nas fazendas. A imigração para o Brasil.
Animais. Animais vertebrados e invertebrados. Classificação dos animais. Coluna vertebral. Alimentos. Pirâmide alimentar.


Uso do am e ão; S/SS, SC, XC, X, CH, Ç, S, R, RR; Uso do M/N antes do P/B. Sufixos: são, cão, ssão; sessão, cessão e seção.
Atividades primárias e as transformações no campo; Urbanização e industrialização; As tecnologias no processo de produção do espaço rural e urbano; As regiões brasileiras.
Números decimais e as quatro operações com números decimais; Representação de números decimais na reta numérica; Medidas: comprimento; Medidas: massa; Medidas: capacidade; Medidas: superfície e volume.
A proclamação da república do Brasil; Getúlio Vargas: o Estado Novo; O governo de Juscelino Kubitschek; O governo de Jânio da Silva Quadros.
A nova República e a Ditadura Militar.
Fontes de energia, importância, vantagens e desvantagens de seu uso; A produção, consumo e desperdício de energia elétrica; Energia limpa; Consumo de energia elétrica; Fontes de energia: pilhas e baterias, usinas elétricas; Condutores de energia elétrica; Ímãs: a força da atração e de repulsão dos ímãs; Campo Magnético Magnetismo terrestre; Eletroímã.


            A avaliação será contínua, com base no desenvolvimento e aproveitamento dos alunos em sala de aula e na escola, bem como seu envolvimento e empenho nas atividades propostas. Portando, serão observados os seguintes aspectos: participação, interesse, desempenho, engajamento e colaboração.


GALEFFI, Dante Augusto. O Ser-sendo da Filosofia. Salvador: Edufba, 2001.


HAIDT, Regina Célia Cazaux. Curso de Didática Geral. São Paulo: ática, 1994


NOSSA , Valcemiro. Ensino da Contabilidade no Brasil: Uma análise crítica da formação do Corpo docente. São Paulo: USP, 1999.


PACHECO, José Augusto. Currículo: Teoria e Práxis. Portugal: Porto, 1996.


SILVA, Antonio Carlos Ribeiro da. Educação a distância e o seu grande desafio: o aluno como sujeito de sua própria aprendizagem. Bahia: Abed, 2004. Disponível em: <http://www.abed.org.br/congresso2004/por/htm/012-TC-A2.htm> Acesso em: 20/12/2017 às 09: 00min.

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestões, críticas, será um prazer responder você.